Power Ranking – Início de Temporada da NFL

O Primeiro Power Ranking

Um marco histórico para essa recém inaugurada página. Depois de muita discussão, pancadaria e quebra quebra na redação, o Flea Flicker finalmente chegou em um consenso, ou não, mas conseguimos um Power Ranking.

Para quem ainda é novo acompanhando os esportes americanos, o Power Ranking é uma lista que comentaristas, sites, programas de televisão e toda a mídia especializada, divulga como um ranking de quem está em um melhor momento ou tem mais condições de brigar por título na temporada. Considerando que se trata de uma análise, e cada um tem a sua, é normal se encontrar mais de uma ordem nesse ranking, tudo depende do critério daquele que está analisando e o que ele entende ser o mais importante para considerar o porque de um time ser bom, estar bem, ou ter condições de melhorar. 

Entretanto, todos os Power Rankings, se você pesquisar, terão times em posições bem parecidas e na média acabam saindo a mesma coisa. Porém, o Flea Flicker não nasceu para ser apenas mais um no meio do bolo, e sendo fundado por três pessoas que não conseguem concordar que o branco é branco e azul é azul, existe uma grande possibilidade de o nosso ranking acabar bem diferente do restante encontrado por aí.

O nosso criterio nessa classificaçao foi bem simples. Avaliamos o elenco atual naquilo que achamos ser essencial para os times se darem bem, não consideramos os calendarios, ou os adversários que estarão no caminho de cada franquia, e por ultimo, levamos em conta o offseason, como a franquia se comportou nas contratações, renovações e draft.

Sem mais delongas, com a temporada marcada para começar em 09 de Setembro de 2021, esse é o Power Ranking do Flea Flicker:

A Turma do fundão

Os quatro piores times para essa temporada

Texans – Um time com novo GM (General Manager) responsalvel por tomar as decisões, e ja passando por uma greve de seu QB, além de uma situção bem conturbada extra campo. A franquia fez algumas contratações interessantes, mas está em claro estado de reconstrução.

Jets – Mais uma vez o New York Jets começa sua reconstruçao, não a toa esta sempre na rabeira de qualquer Power Ranking, com a segunda escolha geral no draft deste ano (2021) a franquia de New Jersey escolheu o quarterback Zach Wilson, e tem nele a esperança de sucesso.

Jaguars – Em uma situação bem parecida com a do Jets, Jacksonville tenta se reconstruir após conseguir a incrivel pior campanha do ano de 2020, como prêmio, teve a primeira escolha do Draft, e o guerreiro selecionado foi o tambem quarterback Trevor Lawrence. Lawrence chega com uma responsabilidade enorme, mas tambem com uma expectativa igualmente alta, sendo considerado o melhor prospecto desde Andrew Luck (QB que jogou e teve sucesso individual nos Colts).

Lions – A franquia de Detroit passa tambem por reformulação, com a chegada de um novo treinador e a troca mais importante da offseason, envolvendo seu antigo quarterback, Matthew Stafford (considerado top 10 por muitos analistas) em uma transação com os Los Angeles Rams.

Os quatro times que não geram expectativa nenhuma no Flea Flicker

Eagles – Campeão recentemente de um Superbowl (SB 52 em 2017), por incrivel que pareça, a franquia nunca se recuperou do sucesso, um curioso caso em que o sucesso apenas prejudicou. Quarterback sempre se lesionando, Head Coach perdendo o vestiario, e jogadores parando de produzir. O time parece estar em um momento de reconstrução que nunca pareceu necessario, e entra bem enfraquecido para a temporada atual.

Panthers – Como podemos perceber, grande parte das franquias que estão na rabeira do ranking passam por reformulação, e o Panthers não é diferente. Apesar de ter demonstrado certa evoluçao na ultima temporada, se trata de mais um clube sem a certeza de possuir um QB para o futuro. Não a toa a troca com os NY Jets. Carolina recebeu Sam Darnold, jogador escolhido em terceiro no draft de 2018 e chega após uma passagem fracassada por Nova York.

Bengals – O time de Cincinnati tem em seu QB a sua maior esperança, e se reforcou no ataque durante o draft, a aquisição de Ja’Marr Chase com a quinta escolha geral, os Bengals tentam dar aquela ajudinha para Joe Burrow (QB)

Falcons – Um caso bem curioso, se alguem entender qual o planejamento do Atlanta Falcons, por gentileza, mande no thefleaflicker.com@gmail.com. A franquia vai passando por um momento bem apertado em seu salary cap, tendo até que trocar um dos melhores receiver da NFL (Julio Jones), em compensação, usou sua quarta escolha geral no draft para selecionar aquele que chega na liga com a expectativa de ser o melhor Tight End dos ultimos anos, Kyle Pitts.

O Meio da Tabela

Este quadro apresenta franquias que não devem nem passar vergonha e nem chegar para disputar titulo
Mais uma parte da turma que vai para temporada a passeio

Denver Broncos – A franquia que se encontra em um estado de renovação desde a aposentadoria de Peyton Manning, e a vitória no Super Bowl 50. Ainda sem o substituto ideal, a busca por um Quarterback segue a todo vapor no Colorado. Drew Lock e Teddy Bridgewater são os nomes que disputam a titularidade em busca do renascimento da franquia.

Chicago Bears – Poucas franquias conseguem, em sua toda história, não ter apenas um nome memorável na posição de QB, pois bem senhores, esse é o Chicago Bears, que segue em busca por um Quarterback confiável e talentoso. Justin Fields, draftado na primeira rodada do último draft, deve ser a bola da vez. No restante, o time deve se apoiar em sua defesa que por anos seguidos, segue sendo uma das melhores da liga.

Giants – Os azuis de Nova York dependem apenas de uma boa atuação de seu Quarterback, Daniel Jones, para finalmente voltar a fazer barulho na liga. O time se reforçou em posições importantes, como o WR Kenny Golladay e gera uma expectativa de voltar a ser relevante, finalmente.

Washington – Mais uma franquia com um ótimo elenco, uma defesa assustadora, um ataque competente, porém ainda falta um bom Quarterback. A aposentadoria de Alex Smith e o fracasso de Dwayne Haskins (após ser draftado, na primeira rodada do draft de 2019, deixam a franquia na busca por um “play caller” capaz de liderar o time. A aposta da vez e o veterano e folclórico Ryan Fitzpatrick, ou Fitzmagic para os mais otimistas.

Raiders – A franquia de Las Vegas tem em seu treinador, Jon Gruden, sua maior estrela. Depois de se aposentar dos gramados e assumir um lugar na bancada da ESPN, Gruden resolveu voltar ao posto de Treinador em 2018. Seu fiel escudeiro e General Manager, Mike Mayock, fez história nas transmissões, era um ótimo analista e muito respeitado. Costumava analisar jogadores do college que chegavam na NFL e ranquear seus talentos. Porém, desde que começou sua trajetória como GM, vem tomando decisões duvidosas e começa, junto com seu amigo Gruden, a sentir um pouco do calor em seu assento neste terceiro ano de gestão.

Cowboys – O eterno favorito que sempre decepciona. O Dallas mais um ano entra com expectativa na temporada, a volta de seu quarterback titular, após se recuperar de lesão, e o grande motivo do otimismo. porém o calcanhar de aquiles do time na temporada passada foi a defesa, não à toa a franquia gastou suas seis primeiras escolhas no draft em 2021, todas na defesa, setor reforçado para enfim trazer o resultado esperado.

Chargers – Depois de uma temporada meteórica do rookie Justin Herbert, a troca de treinador e o bom draft da franquia, selecionando jogadores como o OL Rashawn Slater, e o cornerback Asante Samuel Jr, são motivos para um otimismo para o torcedor da franquia de Los Angeles.

Vikings – Mais um ano que se inicia com a sensação de que o vikings tem um ótimo time, mas que algo falta para competir de verdade dentro de sua conferência, e até mesmo dentro de sua divisão. Conhecido por “afinar” em jogos grandes, ou de primetime, e principalmente em confrontos contra o grande rival Green Bay Packers, a franquia fica na expectativa para ver se Kirk Cousins finalmente dará o salto de qualidade que é esperado a anos em minnesota.

Os Times que geram (não muita) Expectativa

Times em reformulação e algumas duvidas

Patriots – O Time da Nova Inglaterra investiu na free agency (jogadores livres no mercado), como nunca em sua história. Só como curiosidade, Robert Kraft quando comprou a franquia gastou 172 milhões de dólares, na última free agency gastou um total de 159 milhões de dólares. O buraco que Tom Brady deixou na franquia foi sentido na última temporada, sendo a primeira em 20 anos, terminada com mais derrotas que vitórias. Com toda essa gastança em novos jogadores e a escolha de um QB com a 15 escolha geral no último draft, geram, ao menos no início da temporada, uma expectativa para saber o que será da franquia de mais sucesso nas últimas duas décadas da NFL. 

Saints – A aposentadoria de Drew Brees (lendário QB) cria um certo mistério no futuro do New Orleans Saints, o time segue bem equilibrado e sem nenhuma loucura na free agency. Ainda sob a tutela do talentoso treinador Sean Payton, os Saints entram um pouco desacreditados na temporada, mas também candidatos a grata surpresa, tudo depende do nível de jogo de seu Quarterback, podendo ser o polivalente Taysom Hill ou o recém operado (nos olhos!!!) e antiga primeira escolha geral do draft, Jameis Winston.

Dolphins – A Franquia de Miami segue uma pequena incógnita. A cultura estabelecida pelo seu treinador Brian Flores, pupilo de Bill Belichick, uma ótima defesa, um jogo corrido estabelecido e um Quarterback preciso, pois bem, a parte que gera a dúvida na grande maioria dos analistas é justamente a última. Terceira escolha geral no draft de 2020, Tua Tagovailoa ainda não demonstrou toda a qualidade presente em sua carreira no college, resta saber se ele conseguirá dar um passo a frente em seu nivel, ou se o Miami terá que continuar sua busca iniciada no começo dos anos 200, com a aposentadoria de Dan Marino.

Cardinals – O time de Arizona resolveu apostar na experiência nessa offseason, recrutando jogadores como JJ Watt (Defensive End) e AJ Green (Wide Receiver), jogadores que se juntam ao Quarterback Kyler Murray e ao Wide Receiver DeAndre Hopkins em busca de uma temporada de sucesso.

A parte de cima do Power Ranking
O Bloco que deve competir por algo a mais

Steelers – Um dos times mais icônicos da liga, Pittsburgh sempre chama a atenção, começando a última temporada com uma campanha de 11-0, até começar a degringolar na semana 12 e foram derrotas nos próximos 5 jogos disputados. A franquia tenta uma reformulação aos poucos, se desfazendo de jogadores mais velhos na linha ofensiva e apostando em um novo RB, draftado no primeiro round, Najee Harris, que deve ser o ponto focal deste ataque que tem o comando de Big Ben Roethlisberger, em sua provável última temporada.

Seahawks – Anos após ano a franquia de Seattle entra já despontando como uma das favoritas, muito se deve ao quarterback Russell Wilson, um dos melhores jogadores da Liga. Entretanto, o time tem deficiências que não recebem a devida atenção já há alguns anos, a linha ofensiva é uma das mais fracas na liga (a que mais cede sacks), a defesa não consegue se reformular ou ter uma temporada regular, desde 2014, quando perdeu o Super Bowl para os patriots, e seu jogo corrido, que funciona muito mais na base de seu Quarterback improvisando do que corridas realmente desenhadas. Ainda Assim figura em uma posição alta em nosso Power Ranking, justamente por Wilson ser o jogador especial que é.

Titans – Provavelmente, junto com Tampa, o time mais perigoso pelo ar. Troca envolvendo Julio Jones do Atlanta Falcons deu um belo de um upgrade no poderio ofensivo dos Titans. Já possuindo o provável melhor RB da liga, Derrick Henry, (correu para 2 mil jardas nas últimas duas temporadas) e um QB que melhora a cada ano (Ryan Tahennil) os Titans chegam para fazer barulhos, desde que sua defesa resolva aparecer para essa temporada.

Colts – Já passando por momentos de tensão durante seu training camp, Carson Wentz e Quenton Nelson (considerado melhor guard da liga) se lesionaram durante os treinos,  o time comandado por Frank Reich tenta se reorganizar. Os dois principais jogadores do ataque tem um período de recuperação de pelo menos 5 semanas, mas o time segue bem montado e estruturado nos dois lados do campo. Fica agora a expectativa para saber se Carson Wentz, trocado com o Philadelphia Eagles, vai dar resultado nesse time que parece faltar apenas o quarterback ideal.

O Top 8 do Power Ranking
Expectativa altíssima para as franquias no Top 8

Ravens – Os corvos de Baltimore estão sempre bem cotados antes da liga começar, a evolução de seu quarterback (Lamar Jackson)  durante as 3 últimas temporadas é visível, porém a franquia não tem investido tanto assim em poderio ofensivo e tão menos defensivo, a perda de jogadores importantes como Matt Judon (assinou como free agent com os Patriots) não foi compensada. O ataque foi reforçado com o veterano Sammy Watkins, que chega do Kansas City Chiefs. Resta saber como as defesas seguem se adaptando ao jogo de Lamar e quais as novidades que Baltimore pode apresentar, mas é sem dúvida, candidato a ao menos uma final de conferência.

Rams – A chegada do Quarterback Matthew Stafford, trouxe ares de otimismo para o time de Los Angeles. Um caso muito curioso onde o time é recheado de estrelas, mas tambem não tem tanta profundidade em seu elenco, nome como Aaron Donald, Cooper Kupp, Jalen Ramsey, são reconhecidos por qualquer um, e dão a sensação de um verdadeiro All Star Team, mas resta saber o que será desse novo ataque do time e como o elenco irá suprir qualquer desfalque durante a temporada.

San Francisco – Em um movimento que surpreendeu grande parte de sua torcida, San Francisco trocou 3 escolhas de primeira rodada pela oportunidade de escolher Trey Lance como seu novo Quarterback. O motivo do time estar em uma posição tão alta em nosso Power Ranking, o elenco está recheado de talento, e se conseguir se manter saudável (o que tem sido o maior desafio) a temporada inteira, San Francisco tem poder para chegar em mais um Super Bowl.

Cleveland – Talvez o time que mais gera expectativa para a próxima temporada, nomes como Odell Beckham Jr, Myles Garrett, Jarvis Landry, Nick Chubb, Baker Mayfield compõem um elenco recheado de talento e capacidade, e que vem mostrando muita evolução nas últimas 2 temporadas. No ano passado acabou eliminado nos playoffs, dando muito trabalho para Kansas City e prever pelo menos um final de conferência onde esses dois times se enfrentam, não seria nenhuma loucura ou absurdo. Esperar pra ver.

Os Favoritos ao Titulo

Bills – Josh Allen terminou o último ano como um dos 3 melhores QB da liga e chegou a receber votos como MVP (Most Valuable Player). O timed de buffalo mais uma vez é um dos favoritos e tem em seu QB seu maior trunfo. A chegada de Emmanuel Sanders (WR) deve dar uma turbinada em um ataque que já foi avassalador no último ano. Esperar para ver se Buffalo consegue dar o próximo passo.

Packers – Passado todo o drama com Aaron Rodgers (pelo menos para essa temporada), Green Bay tem o melhor quarterback da liga, e um dos melhores da história. Isso e a boa defesa com jogadores como Zaire Alexander (CB), que entra em seu 4 ano na liga e vem evoluindo bastante durante esse período, a torcida dos cabeças de queijo tem razão para estar otimista. A volta de um velho conhecido ao ataque também anima a turma de Wisconsin, Randall Cobb (WR), um dos alvos preferidos de Aaron Rodgers, está de volta para mais uma vez tentar fazer barulho na liga.

Chiefs – Provavelmente o melhor ataque da liga, O Quarterback que é a menina dos olhos da NFL (Patrick Mahomes), o melhor Tight End (Travis Kelce) e o WR mais perigoso dos últimos anos, uma verdadeira máquina de correr (Tyreek Hill). O time de Kansas tenta chegar ao seu terceiro SB nos últimos 4 anos. Uma linha ofensiva reforçada depois do desastre ocorrido no último SB, o Chiefs entra como franco favorito e provavelmente sem adversários para a próxima temporada.

Buccaneers – O Atual campeão do Super Bowl, depois de conquistar o título dentro de seu estádio (fato inédito), o time da Flórida já sai na frente na atual temporada, após conseguir manter os 22 jogadores titulares do time (11 no ataque e 11 na defesa) para este ano que inicia em 9 Setembro. Contando isso e o comando, em campo, de Tom Brady (considerado o maior QB de todos os tempos). Tampa tem grandes possibilidades de repetir seu título, algo que não acontece desde 2004/2005 quando o New England Patriots conseguiu o feito, em comum os dois times tem apenas uma “coisa”, Tom Brady.

Deixe uma resposta